Confira os momentos do
Regional Sul

Como Conselheira da Região Sul,  juntamente com o grupo de Representantes,  nos sentimos convocados a confeccionar uma nova vestimenta que vislumbrasse à abertura de fronteiras para a nossa Regional Sul. Atravessados pelo momento inédito de 2020 e pelos seus tremores, abrimos a fenda da atualidade através do pronunciamento de colegas que trouxeram,  de forma esplêndida,  o diálogo sobre os quatro eixos e as interferências do social e político na formação psicanalítica.  Ampliamos os diálogos sobre as marcas do infantil com convidadas de peso que, de forma emocionante e leve,  encerraram o nosso primeiro tempo de atividade . E , para finalizamos a manhã e de forma inédita,  tivemos a ousadia de trazer uma convidada internacional da Sérvia que, através do seu relato,  rompeu as fronteiras e nos brindou com suas vivências da sua formação. A nossa Regional foi abastecida com  "chimas", bergamotas e com um clima muito afetuoso. Que venham os próximos encontros!

Fabiana Britto Grass - Conselheira ABC Região Sul

Primeiramente gostaria de agradecer a  oportunidade de representar a nossa casa junto à ABC. Thercio e Carmem, obrigada por me encorajar e apostar no meu trabalho, que é um lugar que tem me proporcionado grandes aprendizados, trocas e intimidade com a nossa instituição. Principalmente por poder compreender ativamente a importância e o que significa o quarto eixo - tema muito bem trabalhado no Regional. O Clima afetivo, íntimo e leve da atividade refletiu o laços que criamos no nosso grupo de trabalho, que pra mim foi um presente muito valioso. Neste grupo tive a oportunidade de conhecer colegas de outras instituições, escutar suas inquietações políticas/institucionais e principalmente estreitar laços afetivos. Fica aqui o meu agradecimento especial a minha parceira incansável, colega e amiga Fabiana Grass, que com maestria norteou o nosso grupo.

Quero agradecer, ainda, a Carolina Freitas, que com entusiasmo acolheu nosso convite e com a sua brilhante e impactante fala, nos oportunizou um reflexão profunda sobre o nosso lugar como analistas, um lugar político/social que marca a psicanálise desde a sua origem. Carol, a sua fala segue ecoando em mim, deixou marcas e reafirmou o meu compromisso com a psicanálise. Entendo que a fenda escancarada em 2020 só vai poder cicatrizar na medida em que possamos ocupar um lugar de fala, de diálogo e de abertura para escutar as diferenças e com isso construirmos novos recursos criativos para lidar com os excessos desse tempo.

Viajamos juntos ao ano de 2040, foi uma viagem que me tocou muito. Nós, passageiros, ficamos muito mobilizados com o que miramos e vivemos. Escutamos sonhos relatados por crianças e adolescentes, assombrados por lembranças e sensações, que falavam do medo dos encontros e da dificuldade de contato físico.

Conhecemos Laura,  que contava para sua analista que no ano de 2020 perdeu o avô, a avó e o tio, e que foi um período muito dolorido para a mãe.  Dizia que frequentemente seus sonhos são invadidos por pessoas mascaradas, algo que não podia compreender, mas que se repete. Em uma entrevista de avaliação realizada no início de abril de 2040, conhecemos uma moça que relata para a analista que aos quatro anos teve que se separar da mãe de uma forma abrupta, precisou morar com a avó, com ela ficou por quase um ano, via a mãe somente pela tela do celular. Conta que tem uma lembrança de profunda tristeza desse tempo, apesar da avó ser muito zelosa com ela. Contaram para ela que a mãe, no tal ano de 2020, teve que praticamente morar no hospital onde trabalhava. Diz para a analista que a mãe tentava explicar a sua ausência com a fala: filha, estou longe para te proteger do que eu posso te transmitir e perto daqueles que posso salvar. A moça relata que sentia um vazio enorme e as palavras da mãe naquele momento seguem vivas nas suas lembranças. O fato é que se criou um doloroso hiato na relação delas, provocou fendas, motivo pelo qual buscou um tratamento em abril de 2040.

Juntos viajamos, produzimos, dialogamos e principalmente nos deixamos emocionar  com as falas, que foram profundas, doloridas, e com “Nebacetin” composto de muita esperança e afeto encerramos nossa Regional Sul. Derrubamos fronteiras, encurtamos a distância, e com ousadia recebemos  a  Rialda, colega Sérvia, que relata a sua história com a psicanálise,  seus movimentos e experiências entre fronteiras. Concluo esse regional com coração cheio de alegria e com a certeza que, nós analistas, sabemos a potência do nosso ofício, que estamos atentos e ocupados desse lugar de escuta e fala. Entendo que sim, esse é o lugar ético, social e político, o qual, mais do que nunca, precisamos ocupar.

Karla Aquino - Representante ABC SBPdePA 

Regional Sul
Ampliação Nacional

Contamos com a participação inédita da colega Rialda Sebek, da Sociedade de Psicanálise Sérvia, que nos brindou com as experiências de seu caminhar na formação psicanalítica, expandindo as fronteiras e apresentando novos elementos para o pensar. Um momento de trocas enriquecido pela presença viva dos colegas e  por diferentes olhares.

Regional Sul
Artigos para download

Confira artigos de algumas colegas a respeito do Regional Sul!

Darning the Frontiers of Training

Rialda Sebek

Psycho Society of Serbia

Como pensar a formação em seus quatro eixos

Valéria Rodrigues Silveira

Texto apresentação

Aline Restano - Membro aspirante do Instituto - SPPA

Como pensar a sobreposição do social/ político na formação?

Carolina Freitas

LOCALIZAÇÃO

Av. Nossa Senhora de Copacabana, Nº 540, sala 704 
CEP 22020-0010 - Rio de Janeiro - RJ

 +55 21 96836.2882

secretaria@abcpsicanalise.com.br

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Cinzento Ícone Google+

© 2017 por Associação Brasileira de Candidatos. Criado por Digital Content